Inconsciente

E eu prometi para ela que não ia dormir quando chegasse em casa, porque segundo nossas conclusões, meu sono era um escapismo dos problemas da realidade e isso só contribuiria para minha labilidade emocional.
Mas eu dormi mesmo assim, cheguei em casa lutando contra o sono, seja ele físico ou psicológico, e fui me deitar, primeiro jogando joguinhos no celular para me manter atenta, mas quando vi já estava adentrando no meu inconsciente.
Eu achei que meu sono era para escapar dos problemas, mas em resposta a isso, meu inconsciente provou estar atendo à nossa conversa no carro e me fez trouxe a tona todas as atuais demandas que tenho e até as que eu achava que não tinha. Era como se ele me dissesse: “Toma ai, sua louca, quer fugir? Não vai fugir porra nenhuma, eu não vou deixar. Vamos resolver essas tretas todas”.
E então acordei mais tensa, porém reflexiva, porém com os mesmos problemas batucando a cabeça. E tudo isso para dizer que talvez meu excesso de sono seja escapismo sim, mas pelo visto parou de funcionar adequadamente.
Anúncios

Ainda bem que a minha beleza é infinita pq olhaaa.

Minha amável vida acadêmica feat. trabalho feat. tarefas do lar feat. cuidados com o cavalo feat. atenção familiar/marido meio que consomem todas as minhas horas. Mas as pessoas entendem que eu ando ocupada com mil coisas? Nãoooooo. Porque mesmo correndo desse jeito eu ainda tenho saco assertividade para lidar com cobranças e comentários desnecessários que recebo sobre assuntos que não interessam àqueles que me cobram, ou seja, é aquela história, de eu procurar, procurar, e procurar mas não encontrar o meu pedido de opinião para a pessoa que insiste em me desgastar.
Será que quando findar o meu saco imaginário a minha paciência eu conseguirei dar uma resposta atravessada para pessoas assim? Ou ficarei sempre sendo a pessoa empática e educada que gasta energia com o que faz mal?
Enfim, assunto para a análise de amanhã.