Segundas

Segunda-feira, seja frio ou não é sempre segunda, preguiçosa e cheia de desesperança !

Mas hoje meu dia começou com um pão quentinho com cream cheese caindo no chão, lógico que com o recheio virado pra baixo.

Pesquisadores da Manchester MET University, na Inglaterra, investigaram as curiosas razões que fazem com que uma fatia de pão com manteiga quase sempre caia com a manteiga virada para o chão.

Para descobrir o que causa esse tipo de acidente, o grupo fez testes com cem fatias de torrada com manteiga, que foram derrubadas de uma mesa com 76 centímetros de altura, distância similar à encontrada nos lares de todo o mundo.

Assim, os pesquisadores descobriram que em 81% das simulações, o pão caiu com a manteiga virada para baixo. Comprovada a teoria, foram buscar as razões. ” continue lendo aqui

Continuando a vida fui tomar um banho bem quentinho pois, a sensação térmica estava 10°C , mas quando sai do chuveiro e me olhei no espelho embaçado vejo um 13 desenhado ! Tipo, me senti numa cena de filme de terror, só não foi pior porque era dia. Liguei imediatamente ao marido ,SOCORRO, e ele riu da minha cara, LÓGICO, e disse que não tinha sido ele, AHAN, quem foi então ????

Tento ignorar o fato e continuo esperançosa e vou passar roupa porque fazer o quê né? tenho que pagar minhas dívidas !

Ai que então acontece o inesperado ?????

SegundaEstou continuando a vida, vim para o trabalho dirigindo a 30 km/h (caso você tenha me encontrado pela estrada e eu tenha te atrapalhado me desculpa, apenas me entenda pelo que passei antes das 9 da matina).

Caso me aconteça algo, deixo aqui meus dizeres que: se seu pão virar com cream cheese pela manhã, você encontrar um 13 desenhado no seu espelho embaçado e se você queimar sua camisa CUIDADO , pode ter mais coisas por acontecer !

Sem mais, com esperanças que a segunda ainda me reserve algo bom,Charlie !

Me amem, plantinhas!

Vi um post sobre terrário no blog da Cacá e resolvi mostrar para vocês as plantinhas que tenho em casa.
São pouquíssimas!!! Apenas 3 na verdade ~Shame on me~ simplesmente porque tenho as patinhas podres para cultivá-las.
Minha avó era uma exímia jardineira, tínhamos um jardim enoooorme em casa e ela cuidava com muito afinco todos os dias, mas apesar dela ter tentado me ensinar constantemente, eu simplesmente não conseguia manter viva nem ao menos a minha horta na caixa de ovo…

Parênteses< Fiz essa horta na caixa de ovo na escola, em um projeto de ciências na segunda série. Ao dar o sinal da saída, sai toda feliz, descendo as escadas, para levar a hortinha para casa e mostrar para minha avó e meus pais, mas a felicidade era tanta e a coordenação motora era tão pouca que desci o último lance das escadas rolando com horta e tudo. Parei ao final da escada ligeiramente fora de mim, cheia de semente e terra no uniforme escolar enquanto minha professora – Filomena ❤ – vinha correndo de.ses.pe.ra.da para me socorrer. Meu pai ao me ver daquele jeito exclamou  para minha professora: “Ela é assim mesmo” ~papai já conhecia a filha que tinha~>Fecha parênteses.

Ou seja, toda uma profecia já acontecia , gente!! Quase me mato ~literalmente~ ao tentar fazer uma fuckin’ mini horta.

Mas, mágoas do passado deixadas de lado, eis aqui minhas três belezinhas que LUTAM diariamente para se manterem vivas em casa.

plantinhas
(as duas na parte inferior são fotos da minha pimenteira, uma em sua fase áurea e a outra em sua fase contida)

Estão de parabéns, plantinhas! Survivors! RESILIENTES!!! UHUUL!

Não está fácil

Como dizem…
Qual a diferença da pata e da galinha?
A galinha canta quando bota ovo.

Pois é, e quem não canta, mesmo tendo um ovo maior, se f****, porque não tem o trabalho reconhecido. A vida é assim meus colegas, se você não for puxa saco e/ou politiqueiro você não vai para frente por melhor que seja o seu trabalho.
Como não consigo ser nada disso, vou ficando aqui, trabalhando bastante e enquanto outros levam os louros pq “cantam” o pouco que fazem, quando fazem.

Compartilhei o veneno feat. mágoa agora voltarei à escravidão. beyjos

Give yourself a break.

That's meEu sou uma pessoa muito ansiosa… mas muito mesmo…. para vocês terem uma ideia eu nasci de 7 meses. Isso RESUME.

E ter a ideia de entrar no meio acadêmico AND continuar em um trabalho regular foi uma insanidade, uma insanidade boa, pq quem não gosta de se superar, né? Mas que minha vida social, emocional, sexual, espiritual está totalmente desorganizada isso está. Simplesmente não dá tempo de fazer tudo em 24 horas. E quanto mais você faz mais as pessoas ao seu redor te cobram e quanto mais me cobram mais ansiosa eu fico.

Eu, pessoalmente, não consigo cobrar nada de ninguém, fico envergonhada se tenho que pedir um relatório que preciso, ou mesmo a devolução de uma grana que me faz falta. É aquela história de quem tem em seu repertório a doação dificilmente tem a cobrança para com o outro em conjunto, o que é desgastante porque gera desequilíbrio, sabe.

Porém estou tentando me policiar e fazer mais atividades que eu gosto puramente, como por exemplo visitar meu cavalo, andar a toa ou tomar um café num local diferente. Nem isso eu me permitia, porque minha consciência era tão carrasca comigo que comprava a cobrança alheia e me punia caso eu não estivesse 150% dedicada àquilo. Graças a Deus existe terapia (God save the Psicólogos) e minhas neuras deram algumas tréguas.

Então se você está ai, agitado, ansioso, se punindo. Apenas pare. Respire. e tire UMA HORA para fazer algo que te faz bem, seja ler, escrever, correr atrás do seu cachorro, limpar a casa, ouvir uma música. Se dê uma folga um pouquinho por dia, pq senão surtamos mas o mundo continuará a girar.

Viajo ou tenho um filho?

Preciso de chá e cama.

E as crises continuam, afinal a cada dia que me aproximo da casa dos trinta, apesar de faltar um ano e um mês para tal, as cobranças sociaiszzzzzzzzzzzzz aumentam…
Eu juro que tento me blindar das inimigas dos comentários e da auto cobrança, mas oi? Ansiedade nasceu comigo e pelo visto não me largará jamais.
A couraça que temos que nos revestir para não nos cobrar do desejo do outro é imensa que chega a pesar na alma.
Como indaguei no último post fico tentando separar o que é da minha vontade e do que é da vontade do outro, além, do que é da minha vontade sem eu me sentir culpada por não ser a mesma vontade do outro. Complexo? Simplifico.

Maria quer que eu coma beterraba. Eu quero brigadeiro. Eu como brigadeiro, mas fico culpada por não ter querido comer ou comido a beterraba que a Maria queria que eu comesse. Melhorou?

Já posso me internar?

Enfim, se alguém vender uma boa couraça ou tiver algum filtro mágico de cobranças, favor me emprestar.