das coisas que eu gostaria de entender

…a dificuldade que as pessoas tem de escutar e/ou decidir.

sério. é pedir demais que parem para ouvir quando eu tenho que falar/perguntar alguma coisa? custa decidir alguma coisa – e vejam aqui que não é nada complexo, são coisas triviais, como o que quer comer, se quer ir, enfim – me diz: custa? deve custar e deve ser caro né, porque vou te contar… não tá fácil não.

seria legal se passasse pela mente de quem não ouve/decide que se eu estou perguntando é porque opa! preciso de uma opinião! ou então estou cansada de fazer tudo sozinha e um palpite ou vontade poderiam ajudar. mas pra que facilitar né?

bora deixar a louca mais louca, a cansada mais cansada e assim por diante…

cabou humanidade

Acho chato eu chegar aqui e reclamar do mundo (na verdade das pessoas que vivem nele). A impressão que dá é que tá tudo certo, tudo legal e eu que sou a errada. E até pode ser, vai saber, você querer que as pessoas sejam bacanas, sinceras, abertas às novidades e às diferenças. E veja que diferença aqui não é nada demais, mas o simples (simples?) fato de ouvir o outro, de não se achar o centro do universo, não querer passar todo mundo para trás porque dig dig din sou foda.

É que é especialmente triste você ver que está certo em algumas situações. A loka né? estar certa e não querer, mas é que quando isso se trata de um julgamento de caráter é sim triste, você achar que a pessoa não é assim uma brastemp, dar um voto de confiança e ela realmente não ser. Lógico que se fosse bem parar pra pensar, alguém que fala mal de to-do mundo pelas costas mas paga de amiga na frente não poderia ser assim la muito confiável né mermo? Mas é que sei lá, rola um quê de Polyana de jogar o jogo do contente e achar que pode sim ser diferente, que pode ser uma impressão errada ou sei lá. Tonta né.

Mas enfim… acho que essas servem pra gente meio que largar a mão de ser bacana, de deixar passar, de se auto valorizar e etc e tal. Já que infelizmente não dá pra depender de geral ser bom, fazer o meu pouquinho pra tentar passar isso pra frente e vamo que vamo.

Ah, antes que eu me esqueça, pau no seu cu. Sou legal, tento relevar, mas no fundo quero mesmo é xingar.

Um beijo.

Esgotamento.

Sabe esses dias que tu acorda de ressaca não dá muito bem para definir se era melhor ter apenas dormido até o ano que vem, ou ainda pegar um trem e sumir? Pois é, se você não tem, parabéns, porque hoje o meu está assim. Esgotamento acho que define bem.

Mas, esgotamento do que? Você voltou não faz nem um mês de “férias”, sua casa está relativamente em ordem, o trabalho idem. Bebeu? Bebi não embora até fosse uma boa. Só que ele apareceu, o tal esgotamento. De novo. É, de novo. E aí que mora o medo. Porque já tive isso antes, algumas vezes, mas uma mais grave. E ter que conviver com a sensação de todo stress e depressão voltarem a conviver a cada segundo não á agradável. Acredite.

Numa dessas, haja exercício de respiração, de tentar se acalmar. E haja choro para extravasar a raiva e o cansaço que vem junto. Sensação de impotência. Tipo uma bosta. Um cu, para ser bem clara.

E aí a gente desabafa né? Pra ver se passa. Que ainda tem um longo dia pela frente.