Indiretas

Nesse mundo de modernidades e de que todo mundo tecnicamente pode falar o que quer para o mundo ler/ver/ouvir o que mais me enche o saco torra a paciência são as indiretas. Tipo, preguiça master. Você fala que sei lá, curte azul. Dá uns minutos, cidadão vira e manda uma “estava pensando que acho uma chatice gente que gosta de cores”, aí vem outro e curte e outro rebate e pronto: uma discussão sobre gostar de azul, laranja, ou enfim. É uma necessidade sem fim de opinar, de dizer que sei mais, sou melhor, é pior que cansa.

A real é que todo mundo se sente tão no direito de falar o que quer que por outro lado rola uma vontade incontrolável – ou até uma necessidade – de dizer que aquilo, por ser diferente do que você pensa, não é legal. Só esquecem – esquecemos, enfim – que opiniões são diferentes desde que o mundo é mundo. Os dinossauros já eram herbívoros e carnívoros, lembra? Então vamos superar as diferenças?

Minha timeline agradece.

 

adorei-a-indireta

Anúncios

2 comentários sobre “Indiretas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s